O que é pesquisa de clima?

endomarketing, planejamento

Como saber se a sua empresa é um bom lugar para se trabalhar? Descubra se seus funcionários estão felizes. Na pesquisa de clima, os colaboradores são convidados a refletir sobre o dia a dia corporativo. Vigiar o clima organizacional é primordial para evitar improdutividade e alta rotatividade de funcionários. Descubra, neste artigo, tudo o que você precisa saber sobre pesquisa de clima.

O que é?


A pesquisa de clima é uma ferramenta de RH, que permite captar, de maneira realista, a percepção dos colaboradores em relação ao ambiente organizacional e a sua satisfação com a empresa. Cuidado, apenas, para não confundir com a pesquisa pulse, que é uma medição mais rápida e feita com maior frequência. Costuma ser utilizada em situações urgentes, quando não se pode esperar pela pesquisa de clima.

O levantamento é feito a partir de uma coleta de dados, o que permite a análise de pontos específicos. Assim, é possível compreender de onde vem os altos e/ou baixos rendimentos dos colaboradores. Identifica padrões comportamentais, problemas de convivência e conflitos que precisam ser solucionados, como também aquilo que está dando certo e merece ser impulsionado.

“As estatísticas dirão se os funcionários estão motivados, se se sentem em um ambiente igualitário, se possuem orgulho de trabalhar na empresa, se têm credibilidade na sua liderança e se percebem o ambiente colaborativo, onde as pessoas se importam umas com as outras.”

A ferramenta é estratégica na gestão de pessoas, pois, medindo a satisfação, avalia o grau de comprometimento dos colaboradores. Ela também contribui para a manutenção de um bom relacionamento entre os gestores e a equipe, pois a sua utilização demonstra que a empresa está interessada em melhorar o bem estar do funcionário.

A pesquisa de clima organizacional representa para o RH o mesmo que a pesquisa de mercado, para o Marketing. A diferença entre ambas é que, no caso da pesquisa de clima, o cliente é interno, isto é, o colaborador.

Por que fazer?


Vigiar o clima organizacional é primordial, porque ele afeta o humor, as atitudes, as motivações, as escolhas e as formas de se comunicar e de agir dos empregados. Um diagnóstico organizacional pode, desta forma, evitar improdutividade, serviço mal feito, reduzir o turnover, etc.

Preocupar-se com o clima organizacional significa estar em constante busca por melhorias que influenciem os processos e os resultados da empresa. Seu objetivo é encontrar um equilíbrio entre as expectativas da alta direção da empresa e dos colaboradores. As estatísticas dirão se os funcionários estão motivados, se se sentem em um ambiente igualitário, se possuem orgulho de trabalhar na empresa, se têm credibilidade na sua liderança e se percebem o ambiente colaborativo, onde as pessoas se importam umas com as outras.

Ao buscar soluções para maus resultados, ganha-se em harmonia e produtividade. Para melhorar, no entanto, é preciso saber o que está havendo. Tanto para detectar quais são as falhas da empresa, que podem ser solucionadas, quanto para saber o que está dando certo, para multiplicar. A pesquisa de clima aponta a direção para os próximos passos. Ao perceber um clima de queixas e insatisfação, a alta direção deve agir para resolver o problema, antes que ele fuja do controle.

Hoje em dia, com o employee experience ganhando força, as empresas passaram a se atentar mais com as necessidades dos seus colaboradores. Deste modo, a pesquisa de clima é uma ferramenta importantíssima para medir a temperatura do clima entre os funcionários.

Como montar?


Em relação ao formato as perguntas podem vir tanto na forma direta (Você recebe feedbacks com frequência?), quanto numa afirmativa, a qual o colaborador deverá reagir (O clima da organização é positivo). Já as respostas, podem ser: livre (linhas em branco), múltipla-escolha (ótimo, bom, regular, ruim, péssimo), ou nota (de 1 a 5). De toda forma, é simpático deixar um espaço livre ao final, para que os colaboradores possam fazer algum comentário, caso queiram.

Basicamente, são feitas perguntas para saber se os funcionários estão satisfeitos com o modo que devem realizar as suas funções, com seus líderes, com aspectos físicos e comportamentais do ambiente em que trabalham, como, por exemplo, se têm cadeiras confortáveis ou se as relações sociais são harmônicas, bem como com as políticas da empresa.

“Não importa qual seja o modelo escolhido, é importante que os colaboradores saibam da relevância da pesquisa. É necessário deixar claro que a ela visa compreender o conjunto de condições que a empresa oferece aos seus empregados e que a diretoria tem intenção de melhorar. ”

Os questionários podem ser anônimos ou não, mas é importante que sejam realizados por empresa ou profissional competente. O melhor é terceirizar, para garantir a imparcialidade e a obter confiança dos colaboradores. Rodar dentro de uma ferramenta dá a segurança, para seus colaboradores, de que os dados são confiáveis e não foram editados.

Você pode realizar o questionário pessoalmente, mas o mais comum é utilizar uma ferramenta online, que já processa automaticamente os dados recebidos. O importante é estar atento à linguagem, que deve estar adequada, isto é, ser compreensível por quem irá respondê-lo.

Você pode escolher fazer a pesquisa de clima de modo genérico, para um monitoramento cotidiano, como pode aplicá-la por conta de um motivo ou problema, como, por exemplo, a implementação do ponto eletrônico na empresa. É importante se guiar na elaboração de perguntas, de modo a querer resolver o problema. Não adianta pesquisar algo que não vai resolver.

Não importa qual seja o modelo escolhido, é importante que os colaboradores saibam da relevância da pesquisa. É necessário deixar claro que a ela visa compreender o conjunto de condições que a empresa oferece aos seus empregados e que a diretoria tem intenção de melhorar.

“Com o diagnóstico, é preciso formular um plano de ação, elaborando medidas corretivas, preventivas e fortalecedoras de aspectos positivos.”

Para que surtam efeitos, ela deve se tornar uma prática, isto é, ser feita de forma periódica. Entretanto, é preciso saber que ela sozinha não é suficiente. Além de ter alguém qualificado para analisar os dados e interpretar os resultados, é importante montar planos de ação.

O que fazer com o resultado?


Antes disso, compreenda que existem dois processos: compilação (a soma das respostas) e interpretação (o que ela significa). Após essas duas etapas, será possível diferenciar padrões de queixas individuais. Assim, de imediato, você tomará ciência das situações graves. Os números permitirão compreender exatamente o que se passa.

Com o diagnóstico, é preciso formular um plano de ação, elaborando medidas corretivas, preventivas e fortalecedoras de aspectos positivos. Inicia-se o ataque pelo que foi apontado não funcionar, mas, no geral, a intenção é transformar os resultados em informações úteis à tomada de decisão. Procure resolver os problemas trazidos.

Elabore relatórios com os resultados e repasse aos colaboradores, para que eles vejam que algo está sendo feito para melhorar. Demonstrar conhecimento sobre a situação é o primeiro passo. O segundo é agradecer e premiar aquilo que foi bem avaliado. O terceiro é compartilhar o que a direção implementará para resolver as demandas levantadas.

Se já fez alguma pesquisa de clima, exiba uma comparação entre os resultados e planos de ação, anteriores e atuais. Se o processo escolhido para fazer a pesquisa for informatizado, será mais fácil fazer uma análise estatística, a partir das respostas.

Agora, aos exemplos!

  1. O clima é positivo.
  2. Percebo que o clima é de ajuda e de colaboração.
  3. Meu superior confia em mim.
  4. Sinto abertura para dar sugestões.
  5. Me sinto acolhido quando expresso meus sentimentos e emoções.
  6. A organização está interessada em mim como indivíduo.
  7. Meu ambiente de trabalho me estimula e inspira a dar o melhor de mim.
  8. Eu me preocupo constantemente com a satisfação dos clientes.
  9. Eu recebo feedbacks contínuos sobre a qualidade do meu trabalho.
  10. Confio na postura de liderança do meu gestor.
  11. Gosto de trabalhar na empresa.
  12. Acredito que o meu trabalho contribui para os resultados do time.
  13. Meus pontos positivos são reconhecidos e valorizados.
  14. Vejo oportunidades para crescer dentro da empresa.
  15. Tenho abertura para reportar queixas, caso sinta necessidade.
  16. Considero a demanda de entregas adequada às minhas horas de trabalho.
  17. Acho o ambiente físico da empresa confortável.
  18. Me sinto respeitado no ambiente de trabalho.
  19. Considero minha remuneração adequada às funções que exerço.
  20. A empresa oferece bons serviços a seus clientes.
Loading...
Universidade do Feedback

Cecilia Pessoa é fascinada por artes, literatura e tudo que envolve a capacidade e a condição humana. É bacharel em direito, professora e tradutora de francês e estudante de comunicação social. Cecília, admiradora de boas ideias, é fundadora do Crível Incrível, um espaço de escrita criativa.