O que são competências profissionais e quais os principais tipos?

avaliacao de desempenho, equipe

A competência é uma habilidade para fazer alguma coisa. Ela dá ideia de capacidade, isto é, o conjunto de aptidões que cada pessoa tem, no ambiente de trabalho. As competências podem ser classificadas em algumas grandes seções, conforme abaixo:

1) Competências pessoais

Tipo básico, competência primordial. Ela é a que possibilita a convivência corporativa. Diz respeito aos atributos relativos à atitude pessoal, necessários para a aceitação coletiva e o bom relacionamento com as pessoas.

Aqui vai alguns exemplos do que é avaliado nessa categoria: iniciativa, humildade, comunicação, proatividade, solução de problemas, integridade, ownership, persuasão, autogerenciamento, ética, marketing pessoal, relacionamento interpessoal, motivação, gestão de tempo, empreendedorismo, criatividade, redação empresarial, gestão de tempo, qualidade, organização, etc.

Em cima desses critérios é que serão desenvolvidas as perguntas dos questionários de avaliação de desempenho por competências pessoais. “O colaborador é proativo?”; “O colaborador é íntegro?”; “O colaborador consegue solucionar problemas?”; dentre outras.

2) Competências sociais

Essa categoria gerencia as características necessárias à promoção de um clima organizacional agradável. Além de harmonizar as relações de trabalho, ela sintoniza e potencializa a equipe. Os atributos avaliados neste quesito são: colaboração, assertividade, inteligência emocional, soluções de conflito, influência, flexibilidade, trabalho em equipe, accountability, formação de networking, business culture, integração de funcionários, etc.

Com base nessas subcategorias, serão desenvolvidas perguntas do tipo: “Como é a colaboração do funcionário para atividades em equipe?”; “O colaborador é comprometido com as obrigações que lhe são atribuídas?”; “Possui facilidade em desenvolver networking?”, etc.

3) Competências técnicas

Neste caso, trata-se da soma de conhecimentos adquiridos, através de uma educação formal, que qualifica aquele profissional para executar determinada tarefa, ou mesmo para ocupar o cargo em questão. São essas características que permitem que uma atividade profissional seja desempenhada, isto é, o conhecimento técnico básico para que ela seja desenvolvida.

Neste ponto, costuma-se avaliar: técnicas de apresentação, gestão de recursos, inovação, cliente em primeiro lugar, raciocínio lógico, execução perfeita, inteligência digital, orientação para o negócio, ferramentas online, design thinking, gestão de qualidade, gestão de projetos, big data, jornada do cliente, desenvolvimento de produtos, excelência operacional, dentre outros.

Assim, o tipo de perguntas que devem ser elaboradas são: “O colaborador é voltado para a inovação?”; “Como você avalia a sua gestão de recursos?”; “Trabalha através da utilização de big data?”; “O quanto este colaborador entrega excelência operacional?”, etc.

4) Competências de liderança

Este grupo de competências é destinado à gestão de pessoas e à construção de equipes de alta performance. Normalmente, essas competência fazem parte da avaliação de pessoas que são gestoras, isto é, quem possui uma equipe a liderar.

Tomemos alguns exemplos do que é avaliado nesse grupo: gestão de pessoas, empatia, liderança inspiradora, formação de sucessores, resiliência, fascinação, desenvolvimento de talentos, tomada de decisões, formação de sucessores, pensar global, gestão de mudança, entropia, team building, gestão de equipes remotas, gestão de baixo desempenho, desenvolvimento de talentos, etc. Na prática, as perguntas geradas em cima desses critérios são, por exemplo: “Como você avalia o gestor no quesito desenvolvimento de talentos?”; “O gestor possui uma visão global da atuação da empresa no mercado?”; “Como você avalia a gestão da sua equipe à distância?”; “O gestor é uma pessoa resiliente?”, etc.

5) Competências gerenciais

Esta categoria também é focada na gestão e no controle da equipe. Aqui, o que se avalia em específico é o alcance dos objetivos através do gerenciamento eficiente dos mais variados aspectos do trabalho. Vamos aos exemplos de competências gerenciais: planejamento, gestão de caos, gestão de contas-chave, gestão da informação, capacidade analítica, manutenção do foco, pensamento estratégico, plano de negócios, gestão de stakeholders, estratégia de liderança, visão de marketing, gestão de conhecimento, gestão de negócios, gestão de 4Ps, etc.

Desta maneira, o que se pode perguntar dentro dessa categoria é: “Como você avalia o seu gestor no quesito pensamento estratégico?”; “O gestor possui estratégia de liderança?”; “Em termos de capacidade analítica, que avaliação você dá para o seu gestor?”, etc.

6) Competências comerciais

Por fim, são avaliados os aspectos fundamentais para a eficiência comercial, que envolvem a compreensão da necessidade do cliente, bem como o respeito pelo mesmo. Para isso, é preciso que o colaborador esteja na área de vendas. As habilidades esperadas nesse tipo de competência são: orientação para o resultado, customer impact, prospecção de clientes, gestão de carreiras, técnicas de vendas, negociação, escuta ativa, melhoria contínua de resultados, plano de contas, etc.

Assim, as perguntas desenvolvidas nas avaliações de desempenho por competências comerciais são: “Como você avalia a capacidade de negociação do colaborador?”; “O colaborador executa bem o plano de contas?”; “A escuta ativa é uma característica identificada neste colaborador?”, etc.

Conforme se pode perceber, você pode usar seções diferentes para montar diversos formulários de avaliação de desempenho. Se você optar por uma avaliação que seja a mesma para toda a empresa, você pode escolher competências que sejam globais, isto é, que sirvam para todos. Se você quiser criar formulários específicos para uma determinada área ou função, você pode escolher as competências que são mais direcionadas.

Loading...
Universidade do Feedback

Cecilia Pessoa é fascinada por artes, literatura e tudo que envolve a capacidade e a condição humana. É bacharel em direito, professora e tradutora de francês e estudante de comunicação social. Cecília, admiradora de boas ideias, é fundadora do Crível Incrível, um espaço de escrita criativa.